Conhecendo a história de Aline Cuerci


Tudo começou com visão dupla e depois as quedas na escola. É meninas, eu caia na escola do nada, sem motivos, como quando eu subi a escada e lá em cima cai e não conseguia mais levantar. Com o tempo fui ficando cansada e procuramos médicos até chegar ao Neurologista. Fiz o exame de eletroneuromiografia (de choques) bem no dia do aniversário da minha irmã de 15 anos, e lá estava eu sofrendo em saber o que eu realmente tinha. Dai comecei meu tratamento com remédios, mas ainda sim continuava fraca. Fiz 3 pulso terapia com corticóide que dai acabei ficando inchada, mais foi bom porque apartir dai tive uma melhora, um pouco mais de força até para poder comer.  >


Mas a MG é uma caixa de surpresas, tive crises de dores nas costas que não andava, só ficava sentada e meu pai tinha que me levantar todos os dias antes de ir trabalhar. Depois eu não conseguia nem ficar mais sentada e ele acabou me colocando na cama dele, pois tinha momentos de dores fortes demais e gritava de dor e só ficava de uma posição só. Ai fui levada para o hosítal de ambulancia. Lá me medicaram para dor e tomei mais pulso. Depois tive uma crise forte da MG, a primeira. Me senti muito fraca e não consegui tomar o mestinon (um dos remédios) ai a coisa foi ficando feia e o ar foi faltando. Fui levada as pressas para o hospital, onde tive uma parada respiratória e fui entubada, fiquei quase um mês na UTI, fiz imunoglobulina e passei meu aniversário de 18 anos no quarto do hospital. Depois disso fiquei bem um tempo suficiente de pegar um infecção urinaria e um médico me passar um antibiótico na veia e acabei tendo outra parada respiratória. Fui parar de novo dessa vez no CTI, sozinha pois já era de maior. Foi horrível, porque via meus pais por pouco tempo e ficava sozinha. Eles tirarm meu tudo, mas fui ficando fraca de novo e me faltou o ar, por fim de novo fui entubada. E essa ultima vez eu senti ser entubada, que foi pior ainda. Como lá não tinha nenhum recurso pra me tirar da crise, eles resolveram me transferir pra outro hospital para fazer a plasmaferese. Fui de novo andar de ambulancia e entubada, correu tudo bem. Lá eles fizeram a plasma, tiraram meu tubo e fui pra casa. Depois dai comecei a tomar um imunossupressor, que venho me dando muito bem com ele e faz 3 anos que não vou mais parar em hospital com crises.

Já consegui meu primeiro emprego, não preciso de ajuda pra tomar banho, comer ou até pegar um copo cheio. Minha cadeira de rodas agora pega poeira, pois nem a uso como usava antigamente. Vou em festas com meus pais, curto sair com meus amigos, mas sempre sabendo dos meus limites. Tiro sarro comigo mesma, minha mãe acha graça. Mas o que eu posso fazer? Chorar que não vou, tenho meus momentos de tristeza, mais isso é normal, todo mundo tem. 

Por isso nunca devemos falar das pessoas sem saber o que se passa realmente com elas, eu comecei com essa doença caindo. Você poderia achar engraçado, mas nem eu sabia o que estava acantecendo comigo mesma. Hoje eu me aceito do jeito que sou gordinha, tomando vários remédios, ando devagar mesmo, mas acima de tudo sou feliz assim e agradeço a Deus por ter passado por isso tudo e perceber as coisas mais simples na vida, que muitos reclamam e nem dão valor. Como respirar, poder beber água sem se engasgar, pegar um copo cheio ou até mesmo enchergar sem ver várias coisas a sua frente. Curada eu sei que não estou, vou ter que tomar esses remédios por um bom tempo, mais isso é de menos, eu posso viver assim, ficar com minha família e ser feliz.
ALINE CUERCI

Como se não bastasse, a Aline ainda tem um blog/diário onde ela conta seu dia a dia para que as pessoas que enfrentam a doença (ou não) pudessem acompanhá-la. Lá também são postados unhas, fotos e muitas coisas divertidas sobre a Line. Se quer conhecê-la ainda mais, clique na imagem e visite o seu mundinho online!

10 comentários:

  1. Essa história dela é um exemplo de vida,que devemos relembrar algumas coisas ;D
    http://www.imperfeitaadolescente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. oow foi um prazer poder escrever aqui p vc. Assim seus leitores vão poder me conhecer mais e sobre Miastenia tbm, uma doença que poucos conhecem...
    Obrigada pelo espaço querida.
    Sucesso p vc. *-*
    bjos.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei impressionada... Belo exemplo de superação ;D
    Bjokas sz

    ResponderExcluir
  4. Merece meu respeito. Tenho uma história um pouco complicada também, com muitas complicações com hospitais também. :/
    www.brendacurty.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Aline,sinceramente eu me emocionei com a sua historia,cara você é um grande exemplo de vida,de superação,de orgulho de ter enfrentado de frente e com fé♥
    BEIJOS

    www.girlycute.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu já tinha lido em outro blog a história da Aline, e me comovi muito. Sua história dá um livro, sério.
    bombomcomcafe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. nossa, estava pensando em mandar um história de superação praqui, mas depois dessa, a minha não chega aos pés da história dela!

    ResponderExcluir
  8. Que história linda! Um exemplo de vida! A sua superação é extraordinária!
    Beijos!

    http://thesweet-fantasy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. A história dela é muito linda! Já conhecia esta história porque li no blog dela, mas mesmo assim, o que custa comentar? rsrs

    bjs afiliada,
    http://antigomoderno.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Parabéns,linda história de vida Aline...
    Pode parecer ridiculo,mas derramei muitas lágrimas vendo sua história..
    Uma verdadeira guerreira!
    Passem no meu blog..Ele é novo!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão respondidos. Obrigada e volte sempre! ✌ ♥